InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 24 em Ter Nov 17, 2015 12:09 pm
Últimos assuntos

Compartilhe | 
 

 Hospital dos Covões em Destaque - Correio da Manhã

Ir em baixo 
AutorMensagem
Alice
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 425
Data de inscrição : 28/04/2008
Localização : Setúbal

MensagemAssunto: Hospital dos Covões em Destaque - Correio da Manhã   Dom Nov 02, 2008 5:56 pm

02 Novembro 2008 - 00h30

Coimbra - Equipa do Centro hospitalar é pioneira em Portugal
Electrónica põe surdos a ouvir
É uma sensação fantástica, semelhante a um milagre, aquela que sentem os surdos profundos que depois de operados já conseguem ouvir e falar como as pessoas que têm uma audição comum. Esse dom está nas mãos da equipa do Serviço de Otorrinolaringologia (ORL) do Centro Hospitalar de Coimbra (CHC), onde se situa o centro nacional de implantes cocleares.


Só este ano aquela equipa já realizou perto de sessenta intervenções para colocação de implantes cocleares, retirando igual número de surdos ao silêncio e dando-lhes acesso ao mundo dos sons e da fala.

O implante coclear é um método terapêutico que consiste na aplicação de um dispositivo electrónico na cóclea que capta os sons da fala e do meio ambiente e faz a estimulação directa do ouvido interno, vencendo a barreira da surdez.

A equipa do CHC está a implantar dois novos surdos por semana. "Houve anos em que não pusemos nenhum por não haver aparelhos disponíveis. O drama era então escolher o doente, mas nos últimos anos adquirimos um excelente ritmo de trabalho", disse o director do serviço, Carlos Ribeiro.

Os implantes podem ser aplicados a adultos que já ouviram e falaram mas que perderam essa faculdade por acidente ou doença ou em crianças até aos dois anos que nasceram com surdez profunda. O primeiro ocorreu em 1985, tendo já sido aplicados mais de meio milhar de aparelhos em doentes de todas as idades. O mais novo tinha 16 meses e o mais velho 82 anos.

Os resultados são dos melhores da Europa, devido à experiência da equipa, às características da língua portuguesa e a um método de programação e treino que é conhecido como o método de Coimbra.

CARLOS RIBEIRO, DIRECTOR DO SERVIÇO DE OTORRINO DO CHC: "NÃO HÁ LISTA DE ESPERA"

Correio da Manhã – Os implantes cocleares são uma aposta?

Carlos Ribeiro – Diria que são a cara do Serviço de Otorrinolaringologia .

– Qual é a lista de espera?

– Não temos lista de espera. Os doentes só esperam o tempo necessário à realização do diagnóstico, que é muito rigoroso.

– Qual o custo?

– Cada aparelho tem um custo estimado em 20 mil euros, mas o custo total varia entre 26 e 32 mil euros, consoante se trate de um adulto ou de uma criança.

– É uma cirurgia de risco?

– Sim. É preciso capacidade técnica e científica para a executar.


O MEU CASO: CRISTIANO

"ESTOU A INVESTIR NA VIDA DELE"

Ter uma vida normal, falar e ouvir como os outros meninos da mesma idade, frequentar as mesmas escolas e ter as mesmas oportunidades. É apenas isso que Bruno Bernardo pede para o filho, Cristiano, de dois anos, que nasceu com surdez profunda. Depois de noites sem dormir por não saber como retirar o filho daquele mundo de silêncio, este pai alentejano viu surgir a esperança ao saber que o menino poderia receber um implante coclear e assim "poder ouvir e falar como os meninos normais, que nascem sem qualquer limitação".

O implante coclear – 0 500º do Serviço do Otorrinolaringologia do CHC – foi colocado a 9 de Setembro. Seguiu-se o normal processo de cicatrização e um mês depois o aparelho foi ligado e programado para receber os primeiros sons. A criança iniciou as sessões intensivas de terapia da fala que vão prolongar-se por, pelo menos, três meses.

De segunda a quinta-feira, Cristiano fica em Coimbra, acompanhado dos pais ou dos avós e passa as manhãs no Serviço de Otorrinolaringologia a aprender a interpretar os sons que começa a ouvir e a dizer as primeiras palavras.

A estadia em Coimbra representa um "enorme esforço" para a família, que tem poucos recursos. Só em deslocações e portagens são mil euros por mês, mas é também necessário pagar o alojamento e a alimentação.

"Está a ser muito complicado suportar as despesas, mas o mais importante é o meu filho. Estou a investir na qualidade de vida dele", diz o pai. Cristiano tinha um ano e meio quando os pais se aperceberam de que não ouvia. Chegou a usar uma prótese, que nada resolveu.

PERFIL

Cristiano tem apenas dois anos, é natural de Ferreira do Alentejo, onde reside. É filho único de Bruno Bernardo, de 29 anos, operador de máquinas agrícolas, e de Daniela Cruz, de 22 anos, operária agrícola. É um menino activo e interessado em aprender.

Isabel Jordão

Clique Aqui - Correio da Manhã

_________________
A vida tirara-me um sentido, e mais tarde a tecnologia devolveu-ma graciosamente, de braços estendidos perante a possibilidade, bastou escolher e isso é bonito de se ver. Decifrar os sons, no corpo de adulta mas criança ao mesmo tempo. É magia. O deslumbramento de um novo renascer.
National Geographic Portugal.

Surda Profunda desde 18 meses de causa não determinada.
Implantada no Hospital dos Covões - Coimbra.
Dr.Fernando Rodrigues
Nucleus Freedom: 29/06/2007
Activação: 30/07/2007
PORTUGAL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://ouvido-bionico.blogspot.com
 
Hospital dos Covões em Destaque - Correio da Manhã
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» 19 Abril 2009 CORREIO DA MANHÃ
» GNR efectuou quatro detenções e apreendeu droga em Oliveira do Hospital
» hospital mal-assombrado: será verdade?
» Um hospital dispõe de 7 médicos e 4 enfermeir
» [Resolvido]Dimensões de um hospital

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Outros Assuntos :: News - Novidades - News - Novidades-
Ir para: