InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 24 em Ter Nov 17, 2015 12:09 pm
Últimos assuntos

Compartilhe | 
 

 Ensurdeci em criança

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Alice
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 425
Data de inscrição : 28/04/2008
Localização : Setúbal

MensagemAssunto: Ensurdeci em criança   Ter Jun 03, 2008 8:40 am

Escrever a minha história, é regressar a um passado onde tudo aconteceu, nasci a ouvir e assim continuou até ao estádio dos dois anos de idade, naquele momento ninguém sabia que estava a perder progressivamente a uma velocidade estonteante em plena fase do desenvolvimento da linguagem.

Quem desconfiou? A minha avó materna, no quarto dormia profundamente, ela deixara cair uma jarra de vidro na cozinha e o quarto situava mesmo ao lado, dada á proximidade do som deveria assustar-me. Não acordei.

A minha avó pensou em aspirar a casa, e como sabem, faz um barulhão, prosseguiu por um tempo, até parar e voltar para dentro da sua consciência “A menina ainda não acordou? Estranho, com este ruído já ficava em pé…” lá resolveu espreitar-me, espreguiçava, não ouvi os passos vindo de trás, quando ela se meteu á minha frente, levei um SUSTO tão grande que me fez chorar e ficar com soluços!

Preocupada, abraçou-me, a limpar lágrimas na face. Conversou com a minha mãe, ela não admitia, não acreditava no que ouvia, segundo as palavras dela “È impossível! Como pode falar perfeitamente se não ouve?”.

Fomos para casa. Brincava no quarto, tão á vontade, uma anormalidade impressionante, tudo estava bem, interagia linguisticamente com os bonequinhos na mão, tagarelava sozinha. Resolveu me chamar: Memorex! Nada. Memorex! Nem uma palavra da minha parte. Inquieta, decidiu espreitar-me, avançou e chamou-me novamente, nada! Ao me virar dei um sobressalto e sorri.

Após uma conversa, resolveram marcar uma consulta de Otorrinolaringologia em Alhos Vedros, o diagnóstico da audiometria foi de tal modo fortuito, deixando os meus pais abalados.

Sofria de uma Surdez Severa de causa não determinada, no esquerdo com 60 decibéis e no direito com 75 decibéis, dando uma previsão de que iria perder progressivamente mais de 30% o que veio confirmar 3 meses depois, com a conclusão final de uma Surdez Profunda acentuada.

Compraram duas próteses auditivas, inseriram-me na terapia de fala enquanto possuía resíduos auditivos no enriquecimento de habilidades cognitivas. Todo o meu percurso escolar foi de ensino regular.

Aos 15 anos descobri a existência de Implantes Cocleares, mostrei-me bastante interessada mas tinha informações destorcidas, mal interpretadas, deixei para segundo plano, tinha uma vida desportiva á minha frente, não quis contudo desperdiçar oportunidades de realizações pessoais como atleta de alta competição.

Assim foi, depois de uma década na alta ronda de competição, e títulos conquistados inimagináveis e prazeirosos! Foi uma lufada de ar fresco para muitas pessoas, é certo a leitura labial mascarou por completo a minha Surdez. (Ainda bem!!)

Levei dois anos a reflectir, pensar se devia ser implantada, derivado á continuação da perda progressiva para os 110 decibéis. Lá fui, deleguei o desporto para segunda opção, fiz exames requisitados: TAC, Audiometria e Ressonância Magnética.

Consideraram-me uma possível candidata ao Implante Coclear em Março de 2007, fui Implantada em Junho de 2007.

_________________
A vida tirara-me um sentido, e mais tarde a tecnologia devolveu-ma graciosamente, de braços estendidos perante a possibilidade, bastou escolher e isso é bonito de se ver. Decifrar os sons, no corpo de adulta mas criança ao mesmo tempo. É magia. O deslumbramento de um novo renascer.
National Geographic Portugal.

Surda Profunda desde 18 meses de causa não determinada.
Implantada no Hospital dos Covões - Coimbra.
Dr.Fernando Rodrigues
Nucleus Freedom: 29/06/2007
Activação: 30/07/2007
PORTUGAL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://ouvido-bionico.blogspot.com
Rosa
Moderador
Moderador
avatar

Mensagens : 130
Data de inscrição : 06/10/2009
Localização : Minho

MensagemAssunto: Re: Ensurdeci em criança   Seg Mar 22, 2010 8:10 pm

Olá!

Ao ler novamente a tua história, o teu passado, fizeste-me lembrar que essa situação foi muito parecida com a minha. Depois surgiu-me uma questão, porque será que as avós maternas são as primeiras a desconfiar que os netos sofrem de surdez? Será por os nossos pais não quererem ter esse pesadelo, sabendo que é uma realidade?
Compreendo que no ínicio foi um choque muito grande tanto para os teus pais como para os meus. Mas hoje, que já somos pessoas formadas, realizadas, desenrascamo-nos sozinhas na vida do dia-a-dia, eles sentem que felizmente foram compensados pelo que passaram vendo que com ajuda da prótese auditiva ou implante coclear levamos uma vida normal como os outros. É claro que o nosso esforço para levar uma vida normal é muito maior do que uma pessoa que não sofre de surdez.

Beijinhos,
Rosa
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Ensurdeci em criança
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Haverá crianças na grande tribulação e o inferno tá cheio delas
» Baixaria para criança
» Crianças e o arrebatamento
» Probabilidade- Uma criança
» Permutação circular - (criança chorona)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Implante Coclear :: Testemunhos de Adultos Implantados.-
Ir para: